Sala de Imprensa

Contatos

Agência Cartaz
Leandro Matulja / Letícia Zioni / Sandra Calvi
www.agenciacartaz.com.br

Informações para Imprensa:
Mauricio Sacramento (+55 11) 3871-3030 ramal 228
mauricio@agenciacartaz.com.br

 

Moving Planet promove ação global por questão da mobilidade urbana
e alternativa ao uso de combustíveis fósseis
(.pdf)

Com mais de 1.800 ações programadas em todo o mundo, no dia 24 de setembro, movimento promove manifestações no Brasil em 18 estados e no Distrito Federal

São Paulo, setembro de 2011 – O Moving Planet, ação global que visa promover a discussão a respeito do emprego dos combustíveis fósseis e exigir soluções climáticas às autoridades de todo mundo, já tem programação definida para as ações neste ano. No dia 24 de setembro, pessoas de mais de 170 países se reunirão e ocuparão as ruas em suas cidades para exigir políticas públicas voltadas para mobilidade urbana e sustentabilidade, mostrando que o direito dos seres vivos e a saúde do planeta devem ser prioridades permanentes nas agendas dos líderes mundiais. No Brasil, serão 17 capitais, além do Distrito Federal e outras cidades, em 70 ações programadas até agora. Entre as exigências, estão planos que empreguem transporte público eficiente, construção de ciclovias, energias renováveis.

Promovido pela 350.org – campanha global sobre mudanças climáticas, o Moving Planet já possui mais de 1.800 ações programadas em todo o mundo, neste ano. “Este ano foi marcado por várias revoluções pela liberdade. Precisamos sair da inércia e derrubar também  a ditadura dos combustíveis fósseis”, avisa Paula Collet, coordenadora da 350.org no Brasil. “Nada se resolve num dia – mas nunca iremos vencer esta batalha se não nos unirmos e passarmos a seguinte mensagem global para os nossos representantes políticos: vocês podem estar estagnados, mas nós estamos em movimento! Se quiserem liderar, é melhor se apressarem”, avisa.

No Brasil, as principais ações realizadas nesta edição do Moving Planet, são:

  • Em São Paulo, a pressão é pela elaboração de um plano de mobilidade que devolva a cidade para seus cidadãos, que contemple transporte de qualidade, com tarifa justa e durante as 24 horas do dia, que priorize o transporte público e não motorizado e valorize a acessibilidade, que fiscalize a legislação que protege a todos, que eduque para a cidadania e respeito no trânsito. Com o título de “A Cidade é Nossa: Passeata pelo Plano de Mobilidade Sustentável de São Paulo”, a marcha partirá do MASP à tarde e seguirá em direção à Matilha Cultural, onde os manifestantes serão recebidos em um happy hour musical com Guizado e Banda.

O evento marca também o encerramento da semana da mobilidade, promovida pela Rede Nossa São Paulo, criada em 2007, para construir uma força política, social e econômica capaz de comprometer a sociedade a fim de oferecer melhor qualidade de vida para todos os habitantes da cidade.

  • No Rio de Janeiro, a demanda é pela execução das primeiras Olimpíadas Carbono Zero da história e pela melhoria geral da infraestrutura dos transportes coletivos e alternativos da cidade. A ação do dia 24 contará com a passagem da tocha “ecolímpica” pela cidade utilizando meios de transportes alternativos, como bicicletas, skates, patins, parapente e remo. Haverá um circuito de bicicleta em conjunto com a passagem da tocha para que todos possam participar.
  • Em Salvador, está programada uma pedalada com temática marinha para chamar atenção para a falta de mobilidade urbana na cidade e sensibilizar o poder público quanto à realidade da praia da Ribeira utilizada como depósito de lixo, poluindo o mar e ameaçando a subsistência dos pescadores. O ponto final da bicicletada será justamente a Praia da Ribeira, onde todos se unirão no movimento de limpeza dessa praia.
  • Em Brasília, a ideia é fazer um passeio ciclístico e formar uma grande seta com bicicletas e mudas no Parque da Cidade, para mostrar que a capital do país está pronta para ir em direção a um mundo livre dos combustíveis fósseis.
  • Em Recife, uma grande passeata está sendo organizada com a proposta de emitir o mínimo possível de carbono. No Marco Zero, a festa do zero carbono ilustrará a transição possível e justa para o mundo de 350 ppm, com a presença do pessoal da bicicletada, do maracatu, do teatro, da dança e todos que quiserem se juntar a essa grande festa.
  • Em Porto Alegre, acontecerá um festival ecológico com oficinas, teatro, protesto, bicicletada, mostra de tecnologias sustentáveis e a circulação de um abaixo-assinado demandando investimento efetivo em energia limpa e tecnologias sustentáveis.
  • Em Aracaju, o Pedal Eco Planetário vai chamar atenção para a urgente necessidade do poder público repensar a mobilidade urbana da cidade e também fazer uma Aracaju mais verde, com plantio de árvores e um grande passeio de bicicleta, skate, patins, a pé.

Todas as ações realizadas no dia podem ser conferidas neste link. Novas ações ainda podem ser inscritas pelas pessoas que desejarem organizar um evento em sua própria cidade, por meio deste link.

http://twitter.com/350brasil
https://www.facebook.com/350Brasil

Sobre a 350.org
A 350.org está construindo um movimento global de bases para resolver a crise de clima. As nossas campanhas online, organização de bases, e ações públicas de massas são conduzidas de baixo para cima por milhares de organizadores voluntários em mais de 188 países.
O que é 350?

350 é o número que os principais cientistas dizem ser o limite máximo de segurança para a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera. Os cientistas medem o dióxido de carbono em "partes por milhão" (ppm), por isso 350ppm é o número abaixo do qual a humanidade tem de chegar o mais rápido possível para evitar mudanças climáticas descontroladas. Para lá chegar, precisamos de um tipo diferente de PPM - "people powered movement", um movimento feito de pessoas como você em cada canto do planeta.